Obras raras do acervo de Glenda Cruz são doadas ao IAB RS

Data: 04/11/2021
Fonte: Sabrina Ortácio - Assessoria de Comunicação IAB RS

A Biblioteca do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB RS) foi presenteada com uma doação que vai agregar muito sua coleção. Ao todo foram necessárias 30 caixas para reunir o acervo da professora Glenda Pereira da Cruz, que doou obras raras nacionais e internacionais, muitas delas autografadas e escritas em francês e espanhol. Glenda possui uma trajetória de mais de 30 anos em pesquisas, sendo professora na Faculdade de Arquitetura da UFRGS e UniRitter, professora colaboradora no PROPAR da UFRGS e na Pós-Graduação da Faculdade de Arquitetura da PUC-RS, além de ser servidora da Metroplan.

A doação começou em janeiro de 2021 e foi finalizada no mês de outubro. A iniciativa começou a partir de um primeiro contato com o arquiteto César Bastos de Mattos Vieira, professor do Programa de Pós-graduação em Urbanismo da UFRGS, que já sabia que Glenda queria tornar seu acervo disponível para pesquisadores. A partir daí chegaram ao IAB RS 129 obras, muitas sobre história da arquitetura e história da arte.
 

Doação gerou mais de 30 caixas contendo livros raros

“Estamos ainda acomodando os livros nas estantes e identificando os principais assuntos”, revela Osmar Weyh, aluno de graduação em biblioteconomia da UFRGS e bolsista do acervo arquivístico e bibliográfico do IAB RS.
 

Obras estão sendo organizadas nas estantes da biblioteca do IAB RS

César Vieira conta que Glenda sempre foi uma referência em pesquisa de arquitetura e urbanismo, se interessando desde a arquitetura colonial de influência portuguesa, ampliando sempre o seu foco, passando pelo estudo das construções dos espaços coloniais da América Ibérica e indo “navegar” em águas pouco exploradas como da arquitetura Islâmica. Apaixonada pelo que faz, passou boa parte da vida buscando informações sobre arquitetura e urbanismo por todos os cantos do mundo, e que se materializaram em uma biblioteca riquíssima. “Já fazia um tempo que ela tinha me procurado incomodada com a idade avançada e muito preocupada com o futuro de sua biblioteca”, informa o professor César.
 

Professor César Vieira ao lado da professora Glenda Cruz, seguida pelo estudante Osmar Weyh e da arquiteta Tamáris Pivatto, diretora administrativa do IAB RS no dia da doação das obras

Como nada é por acaso, o professor foi procurado por Jeniffer Cuty, coordenadora do projeto de extensão Acervos IAB RS, para auxiliar na construção da Memória do IAB. “Quando ela me falou das obras que o IAB estava acolhendo e do cuidado de todo o processo, entendi que havia encontrado o lugar para o acervo da Glenda”, revela César. Ao passar sua ideia para a professora ele percebeu que novamente suas vidas se cruzavam para dar solução e andamento a mais um projeto interessantíssimo. Os dois são amigos de longa data desde quando César foi seu aluno. “Sempre que perdia o norte nas minhas pesquisas procurava a Glenda para levar uma bronca regada de muito conhecimento e informações que me recolocavam no rumo. Por outro lado, a Glenda, quando precisava de auxílio em desafios mais práticos, se rendia e me procurava”, recorda. Para ele, a partir de agora o acervo da Glenda toma vida e parte para uma nova trajetória independente das nossas vidas.

 

Professora Glenda e a arquiteta Tamáris Pivatto, diretora administrativa do IAB RS

Para a Dra. Jeniffer Cuty, professora do curso de graduação em Museologia da UFRGS e coordenadora do projeto de extensão Acervos IAB RS, esta doação é de grande relevância para estudos e pesquisas de temas específicos, pois contém títulos internacionais raros. Jeniffer destaca que a professora Glenda Cruz se dedicou muito ao longo de sua trajetória acadêmica aos estudos da arquitetura luso-brasileira. “Suas pesquisas englobam interesse no âmbito da Turquia, Leste Europeu e Grécia. Ela costumava traduzir textos para utilizar em sala de aula”, recorda Jeniffer, que teve a honra de ser uma de suas alunas. “Vamos acolher essa coleção que perpassa 30 anos de pesquisa na arquitetura e urbanismo. Certamente o IAB poderá disponibilizar em breve para pesquisadores”, destaca Jeniffer Cuty.

Em entrevista ao estudante Osmar Weyh, que atualmente escreve o TCC “Memórias Femininas:  Formação da biblioteca do IAB RS e a coleção da arquiteta e docente Glenda Pereira da Cruz”, a professora compartilhou algumas informações de sua vida. Confira os depoimentos cedidos por Osmar para essa matéria:

“[...] como não tenho filhos, somente sobrinhas que são da área da medicina, meu maior temor era de que os livros acabassem sendo fragmentados em sebos”.

“[...] tinha o Tesouro da Juventude, toda nossa família conhecia essa coleção. E teve uma outra de clássicos, então o pai gostava muito de ler e aquilo começou [pausa], eu passava as férias do colégio lendo em casa. Então gostava muito de ler os policiais da Editora Globo, da época, eram muitos, eram gente muito boa, né. Então o pai gostava muito dos policiais, eu lia muito e aí eu peguei esse gosto por literatura”.

“Sempre fui fissurada em História”

“Ah sim, eu sempre fui fissurada em História. Então eu levei esse gosto pela história para a história nossa, para a história da Arquitetura, da Engenharia e sei lá o quê, junto com a história geral. Porque tu não dás história da arquitetura sem saber história. Eu me lembro que teve um colega que disse: “Ai Glenda, tu não precisas saber história para dar história da arquitetura”. Eu digo que tem que ter o porquê que muda, porque se transforma os materiais, as formas de construir tal coisa, isso aí é a graça, da história dar um porquê das coisas. Eu viajei muito, também para a Europa, principalmente França, Portugal, a Espanha. Fotografava todas aquelas coisas que eu conhecia da própria história da arquitetura, do gótico, do românico, as transformações das igrejas, dos palácios, das cidades...”

Saiba mais sobre Glenda Pereira da Cruz: Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1963), mestrado em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1984) e doutorado em História Ibero-Americana pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1995). Foi professora na Faculdade de Arquitetura da UFRGS, professora titular do Centro Universitário Ritter dos Reis, professora colaboradora no PROPAR da UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul e professora na Pós-Graduação da Faculdade de Arquitetura da PUC-RS e servidora da Metroplan - Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional, ligada junto a Secretaria de Obras do Governo do RS.