Planos Populares de Ação promovem assistência técnica de urbanismo em Porto Alegre

Data: 25/02/2019
Fonte: Sabrina Ortácio - jornalista

Já estão em andamento os Planos Populares de Ação que irão promover a assistência técnica de urbanismo em regiões de Porto Alegre. A iniciativa do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB RS), tem patrocínio do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/RS) e apoio do Laboratório Cidade em Projeto (CPLAB-UFRGS), do Coletivo Ambiente Crítico (CAC), do Escritório Modelo Albano Volkmer (EMAV-UFRGS), e dos Fóruns das Regiões de Planejamento da Capital Gaúcha.

O projeto vai auxiliar, mediar e capacitar os conselheiros, delegados, entidades, movimentos sociais e comunidade em geral na elaboração de Planos Populares de Ações Regionais (PPARs).
 

“Queremos construir, de forma participativa e democrática, um plano popular que colabore para destacar as necessidades de cada região e sonhar a melhoria do espaço de moradia e de convivência”, explica a arquiteta Clarice Oliveira, vice-presidente do IAB RS e coordenadora do projeto.

Do segundo semestre de 2018 até agora, já foram realizadas quatro oficinas com a proposta de construir o perfil de cada região.
 

Em fevereiro, na Região de Planejamento (RP7) a atividade ocorreu no sábado (16/02) na sede da Associação Vila São Judas Tadeu, envolvendo representantes dos seguintes bairros: Agronomia, Cel. Aparício Borges, Lomba do Pinheiro, Partenon, Santo Antônio, São José e Vila João Pessoa. A oficina contou com a presença do engenheiro ambiental Iporã Possantti, que conversou sobre questões do meio ambiente nestas regiões. Os organizadores também apresentaram dados sobre habitação, saúde, educação e infraestrutura urbana.

 

Já a oficina da Região de Planejamento (RP1) foi realizada na sede do IAB RS na quinta-feira (21/02) contando com a presença de representantes dos bairros Marcílio Dias, Floresta, Centro, Auxiliadora, Moinhos de Vento, Independência, Bom Fim, Rio Branco, Mont’Serrat, Bela Vista, Farroupilha, Santana, Petrópolis, Santa Cecília, Jardim Botânico, Praia de Belas, Cidade Baixa, Menino Deus e Azenha. Os participantes receberam informações regionais sobre habitação, saúde, educação e infraestrutura urbana, e, logo após, colocaram em prática a construção do perfil da sua região.